Posts Tagged ‘Investimentos’

Em um cenário de crise financeira os investimentos na web parecem bastante atraentes, já que não demandam grande capital para implementação. Porém, devemos ter em mente que por trás de um site na internet existe um negócio.

Existem pessoas executando fluxo de tarefas para o atingimento de metas. Seja para ativação de tráfego, gestão do portifólio de serviços e conteúdo, atendimento a clientes, fornecedores, enfim… uma gama de processos que envolvem pessoal cada vez mais especializado.

Ex: O comércio eletrônico, por exemplo, que nos últimos 8 anos foi dominado por Submarino agora cede espaço a lojas verticais como NetShoes (tênis) , Fast-Shop (eletrônicos), Webmotors (veículos), Wine (vinhos), entre outras.

Assim como eles, pequenas lojas e mini-portais ganham musculatura com SEO e a indexação do Google. Páginas criadas a esmo são indexadas e estão passando na frente em muitas palavras-chave dos portais tradicionais do varejo.

Estamos assistindo ao surgimento dos “category-killers”, sinal de profissionalização do setor e investir na web – algo que parecia fácil e simples – está cada vez mais complexo e desafiador. Os projetos verticais estão se tornando uma oportunidade para desbancar concorrentes estabelecidos há anos no mercado.

Porém volto a repetir: não se esqueça que existe um negócio por trás e você terá despesas como em uma empresa comum. Muitas vezes  A internet é apenas uma nova forma de divulgação e interação com o seu público. Pense nisso.

A tão sonhada independência financeira pode estar mais próxima do que você imagina. O primeiro passo é entender os conceitos para atingir os objetivos. O segundo é colocá-los em prática! (boa sorte!)

São duas as principais barreiras que impedem as pessoas de atingir a independência financeira:

1) Não saber Poupar
2) Não saber Investir

Poupança e Investimento são dois conceitos relacionados, e muito frequente as pessoas os confundem entre si, porém poupar e investir são duas missões completamente distintas – requerem habilidades completamente diferentes.

Habilidade de Poupar  (Taxa de Poupança)

Poupar é a ‘arte’ de gastar menos do que você ganha, fazendo com que os seus ativos acumulem ao longo do tempo.

O poupador não se preocupa com o presente e é disciplinado o suficiente para não assumir mais compromissos financeiros do que pode  absorver.

A taxa de poupança está ligada à cultura da população – uma vez que a mídia, comerciais do varejo e os ensinamentos da família exercem profunda relação com a taxa de poupança de uma civilização.

Veja abaixo um comparativo da taxa de poupança dos principais países do globo:

Taxa de Poupança - Gráfico
fonte: Eliana Cardoso - Sobre Cigarras e Formigas

A China possui uma taxa de poupança de 45%. Praticamente o dobro do Brasil. A taxa de poupança, além de influenciar no crescimento do país – a China cresce a 10% ao ano, contra 3-4% do Brasil, afeta a disponibilidade de crédito do mercado.

Porque não poupar?

A maioria das pessoas não poupa por falta de disciplina. Outras, tentam viver com foco no ‘presente’ despendendo com viagens, roupas e um consumismo exagerado para fazer valer a sua existência.

Também não é raro encontrar pessoas que não poupam pois não conseguem enxergar benefícios, não conhecem os investimentos e portanto não se sentem à vontade juntando dinheiro.

Porque poupar ?

A poupança é o único caminho para uma vida financeira estável. Seja para empresas ou mesmo pessoas, a poupança é fundamental para eliminar a presença do capital de terceiros no orçamento.

O capital de terceiros, quase sempre remunerado a altas taxas de juros ou dividendos, atuam como agravante do balanço orçamentário diminuindo cada vez mais a disponibilidade de capital.

A poupança é o primeiro passo para iniciar a construção do seu patrimônio. 

Habilidade de Investir (Investimentos)

Outro impeditivo que também atua como barreira à Independência Financeira é o conhecimento sobre Investimentos.

Não saber investir pode ser comparado a não saber dirigir. Imagine que você precisa cruzar uma longa distância, porém só sabe fazê-lo à pé.

Os motivos podem ser vários, como: medo de andar de carro, acidentes, levar multas, perder a carteira etc… Enfim: quen não investe leva muito mais tempo para chegar em algum lugar do que as pessoas que sabem como movimentar o seu capital.

Mesmo assim, você não é obrigado a dirigir na contra-mão, passar em sinais vermelhos ou dirigir em alta velocidade. Afinal, existem conhecimentos básicos que podem ser aprendidos e praticados para que você não corra um risco excessivo.

Com os investimentos é exatamente assim. Existem ‘conhecimentos’ que precisam ser compreendidos para que você não faça bobagem quando for investir.

Os mais importantes são:
– Lei da Oferta e Demanda;
– Matemática Financeira;
– Juros Simples e Juros Compostos;
– Inflação e Taxa Básica de Juros;
– Diferenças entre Títulos, Imóveis e Negócios;
– Orçamento, Planejamento e Gestão;

Dominando estes termos, você poderá montar um plano financeiro para atingir os seus objetivos e conquistar a Independência Financeira.

O primeiro passo você já deu (ler este texto). De agora em diante, basta se aprofundar nos temas acimas para começar a poupar e investir.

Você terá atingido sua Independência Financeira quando os seus rendimentos forem superiores às suas despesas.

Até a Próxima ;)

“Poupar para ter” é uma condição óbvia mas sem sentido. Para que ter, se, condicionalmente, não pode gastá-lo.

A frase correta certamente seria “Quem poupa e investe tem para sempre e à vontade”

Sempre tive curiosidade para entender o mercado e os investidores. Ainda não tinha feito matemática financeira e tinha muitas dúvidas sobre investimentos, porém grande admiração pelo assunto.

Mas não foi a FGV que me ensinou a importância dos ativos e da renda, foi lendo o livro “Pai Rico Pai Pobre” que me dei conta de como era estúpido financeiramente e estava fazendo bobagens na vida.

Pai Rico Pai Pobre foi o “marco zero” da minha educação financeira. É uma verdadeira bíblia para que você entenda definitivamente os riscos que está correndo se não aprender a investir o seu dinheiro e fazer planos para o futuro.

No livro, “Pai Rico” é o pai de adoção do garoto, que entende tudo sobre finanças e “Pai Pobre” é o pai verdadeiro, professor e trabalhador. O livro contrapõe o Pai Rico e o Pai Pobre interpretando os Investidores e o Trabalhadores e prova que é possível traçar um plano, mesmo com pouca renda.

Recomendo a todos a leitura deste livro. Além deste li outros da coleção e do assunto, porém este é realmente fenomenal. Tks robert kiyosaki!!

Este conteúdo está protegido com uma palavra-passe. Para o visualizar, por favor, insira em baixo a sua palavra-passe: